A importância da alfabetização na era digital, segundo diretor da Mozilla

Alfabetização digital é porta de entrada para o século 21

Mark Surman, diretor-executivo da Mozilla Foundation, que desenvolve o navegador de internet Firefox, assume a missão de promover uma transformação na atual geração: de consumidores de tecnologia para criadores de tecnologia.

O Surman, hoje às 13h, deu uma palestra na Campus Party com este tema entre outros, tais como a importância de plataformas abertas, do HTML5 e do mundo móvel.

O mesmo diz em uma entrevista por email à Folha que a alfabetização digital é, da mesma maneira que a leitura, a escrita e a aritmética foram cruciais para formação de pessoas como cidadãos e profissionais no século 20, a alfabetização digital será vital no século 21. Sem ela, as pessoas não têm acesso às mesmas oportunidades profissionais e de aprendizado e não ajudam a criar as próximas inovações criativas tecnológicas do mundo. Diz também que a Mozilla está com o projeto “WebMaker” que une três assunto importantes para os próximos anos.

A questão de como levar a alfabetização digital a países em desenvolvimento, onde as necessidades básicas não são atendidas, Mark revela que os próximos 2 bilhões de usuários da web no mundo chegarão por meio de dispositivos móveis, não por PCs. E nisso entra outro projeto da Mozilla que é o Firefox OS que é tão importante para experiência tecnológica de baixo custo e aberta. É também uma razão pela qual o mundo móvel é um crescente foco no projeto WebMaker.

Sobre a geração atual que está consumindo mais do que produzindo tecnologia, Mark Surman diz que é como se tivéssemos ensinado toda uma geração a ler mas não a escrever. Uma pesquisa recente feita no Reino Unido mostrou isso: 67% dos britânicos de 8 a 15 anos disseram ter interesse em aprender a programar um computador ou escrever código de software. Mas apenas 3% têm essa oportunidade. “Existe uma lacuna parecida em todo o mundo, e precisa ser consertado.” diz diretor da Mozilla.

Projeto WebMaker

O projeto WebMaker vem como uma “grande tenda” para gigantes de tecnologia, que já estão trabalhando ativamente nessa questão. Por exemplo, a Mozilla trabalha com outras organizações e comunidades voluntárias no programa “Summer Code Party”, e no verão passado fizeram mais de 700 eventos de alfabetização digital em 80 países diferentes. Isso dá uma visão de esforço amplo, que envolve todo o mundo.

E sobre as plataformas abertas, Surman informa a importância delas e  cita que as mais populares fechadas (Windowns, iOS…), hoje em dia, roda com software livre e padrões abertos mesmo que muitos usuários nem saibam disso. Plataformas fechadas podem ocasionalmente ter algumas vantagens no curto prazo, mas plataformas abertas ganham no longo prazo por oferecer a abordagem mais elegante para desenvolvedores e a melhor experiência para os consumidores. Acredita-se que o HTML5 e a “web como plataforma” são ótimos exemplos disso no futuro do mundo móvel.

Ainda há dúvidas porque substituir ecossistemas fechados no espaço móvel e porque não há avanço maior nisto, mas a Mozilla acredita que a web é a plataforma definitiva para desenvolvedores e usuários do mundo móvel. O HTML5 permitirá os desenvolvedores a criar para máquina de mesa, celulares, tablets e novos dispositivos que nem podemos imaginar. Isso é um benefício forte e uma vantagem de engenharia básica que terá um grande impacto no espaço. O Brasil será um dos primeiros mercados no mundo a sentir essa mudança com o Firefox OS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *